Jeferson Luiz Piccoli


Especialista em Sistemas de Ordenha

jefersonordenhadeiras@hotmail.com

PUBLICAÇÕES

Sistema Balde ao pé: Começando a conhecer os tipos de Ordenhadeiras!

11 de fevereiro, 2019

Este espaço foi criado para que possamos trocar informações sobre tudo que envolve um dos pontos mais delicados da atividade leiteira: os equipamentos de ordenha. Através de uma linguagem simples e direta vamos orientar o produtor de leite para que conheça seus equipamentos de ordenha e possa tomar sempre as melhores decisões na hora de comprar, trocar ou regular os mesmos.

Desde que se produz leite no mundo sempre existiu algum tipo de ordenha, inicialmente manual e depois chegando a mecânica. As primeiras ordenhadeiras mecânicas eram muito simples porém de grande auxilio ao produtor de leite.

Atualmente, com a evolução tecnológica, surgiram vários sistemas de ordenha que potencializam a produção leiteira, buscando sempre o aumento de renda do produtor e de sua permanência na atividade.

Escolha dos equipamentos

Uma das principais decisões é quanto ao sistema de ordenha a ser utilizado, pois a rentabilidade do produtor dependerá diretamente de uma perfeita “extração” do leite.

A escolha do sistema de ordenha será orientada sempre de acordo com o número de vacas a serem ordenhadas, mão-de-obra disponível e sistemas de criação. Os principais tipos de sistemas de ordenha são: manual, balde ao pé e ordenha em linha.

A ordenhadeira mecânica mais simples e de baixo custo é conhecida como "Balde ao Pé". Este sistema é prático e relativamente barato, porém para rebanhos maiores torna-se inviável. 

Consiste basicamente em um sistema em que os conjuntos de ordenha são colocados ao lado do pé da vaca, acopalhados diretamente em um "tarro de leite". Os animais são ordenhados individualmente, usando-se um dispositivo de vácuo simples, com as vacas podendo ser colocadas em um estábulo ou em uma sala de ordenha. 

Como mencionado anteriormente, o "Balde ao Pé" possui baixa eficiência, porém tem a vantagem de ser relativamente barato e ter manutenção simples. Este sistema deu grande impulso na atividade leiteira em substituição à ordenha manual e é muito utilizado em pequenas fazendas ao redor do país.

Alguns produtores também utilizam este sistema para ordenhar as vacas tratadas com medicamentos (leite de descarte), recém paridas e vacas que participam de exposições.

Vale lembrar que sempre devem estar de acordo com as normas ISO

Dica de Hoje do Jefão: Nunca esqueça de manter seus equipamentos de ordenha revisados por um técnico de confiança, pois um sistema de ordenha com funcionamento inadequado pode gerar danos à saúde do rebanho, além de incalculáveis prejuízos financeiros e zootécnicos à fazenda. Ordenhe sempre com um equipamento bem ajustado, mesmo que ele tenha mais de 10 anos!

Sugestões, dúvidas ou críticas serão muito bem vindas. Um abraço do Jefão!

Proluv
Top