Marcelo de Paula Xavier


Produtor Rural, Administrador de Empresas e Mestre em Agronegócios

marcelo@fazendaipiranga.com.br

PUBLICAÇÕES

O que devemos esperar de uma vaca Jersey?

11 de fevereiro, 2019

A raça Jersey - originária da Ilha de Jersey, no Canal da Mancha -  é a raça leiteira mais eficiente entre todas. Por suas qualidades únicas na produção de leite, se encontra espalhada nos cinco continentes. Devido às características descritas a seguir, é a raça leiteira que mais cresce em todo o mundo.


1 - ALTA PRECOCIDADE E FERTILIDADE
A novilha Jersey tem seu primeiro parto mais cedo do que qualquer outra novilha de raça leiteira, o que resulta em um custo menor até a primeira parição. Além de sua boa capacidade de reprodução, ela apresenta facilidade de parição e um intervalo menor para voltar a emprenhar após o parto. Isso significa mais lucro para o criador!

2 - LONGEVIDADE
No mundo todo, a raça Jersey apresenta uma importante vantagem na duração de sua vida produtiva. Isto significa que o criador de Jersey tem um retorno mais duradouro sobre o seu investimento. A vaca DUNCAN HIBRITE OF FAMILLY HILL,
por exemplo, produziu 155.863 Kg de Leite, 7.289 Kg de Gordura e 5.715 Kg de Proteína, em mais de 20 anos, durante sua vida produtiva. A média de produção durante seus 5.706 dias de lactação, foi de 27,4 Kg de leite, com 4,7% de Gordura e 3,7% de Proteína.


3 - ADAPTABILIDADE
A criação do gado Jersey não tem barreiras climáticas ou geográficas, uma vez que estes animais conseguem prosperar nos mais diversos climas e regiões. A tolerância às diversas temperatura, assim como a facilidade de concepção e de parto, faz com a vaca Jersey se adapte perfeitamente às mais variadas condições climáticas. Além disto, a raça apresenta bom desempenho em sistemas de criação de confinamento ou em programas de pastoreio.

4 - DOCILIDADE
Entre as raças leiteiras, a vaca Jersey é, indubitavelmente, a mais dócil, a de menor tamanho, a que melhor se reproduz e a mais longeva. A mansidão da vaca Jersey permite seu manejo até por crianças. Em muitas fazendas familiares de criação de Jersey, o trato dos animais fica a cargo das mulheres e seus filhos.

5 - EFICIÊNCIA ALIMENTAR
A raça Jersey é fisicamente menor e requer menos comida até o primeiro parto. Depois, ela requer menor ingestão de matéria seca para sua manutenção durante a lactação, direcinando mais energia para a produção de leite. Ou seja, a Jersey consegue produzir mais leite, com um custo menor de alimentação.  Temos exemplos de vacas que produziram até 32,6 vezes seu próprio peso em leite. Isto é eficiência.


6 - RENTABILIDADE

Segundo o New York and Northeast Dairy Herd Improvement Program Sumary, o rendimento liquido da raça Jersey sobre as outras raças leiteiras, no que se refere a custos dos alimentos, é 14,18% favorável à vaca Jersey. A vaca Jersey apresenta uma alta eficiência de conversão alimentar, pois transforma de maneira eficaz os alimentos consumidos em leite, produzindo mais por área e/ou por tonelada de forragem. A vaca Jersey é uma "máquina" que produz grande quantidade de leite com pouca exigência em sua manutenção. Podemos citar como exemplo a vaca recordista mundial MAINSTREAM BARKLY JUBILLE, que produziu 25.215 Kg de Leite, com 4,6% de Gordura e 3,2% de Proteína, em sua terceira lactação, o que representou uma média diária de 69 Kg de Leite por dia.


 

7 - QUALIDADE DO LEITE
O leite Jersey contém 20% mais de proteína e 15% mais de cálcio (mineral essencial na nutrição humana) do que o leite de outras raças. Além disto, o leite de Jersey contém maior quantidade de sólidos não gordurosos (proteínas, lactose, vitaminas e minerais), se mostrando um leite mais completo do que o de qualquer outra raça leiteira. Quando consumido na forma fluida, tem mais consistência e um gosto mais forte. Os sólidos adicionais encontrados no leite Jersey proporcionam mais nutrição e melhor sabor, tornando-o mais completo e valorizado no mundo todo. Isto significa maior lucro na venda de leite para os criadores de Jersey.

8 - CRUZAMENTOS

O gado Jersey tem sido criado em estado puro há mais tempo do que qualquer outra raça leiteira. Isto lhe dá grande facilidade para transmitir à progênie as boas qualidades da raça: facilidade de parição, tolerância ao calor e elevada produção leiteira e manteigueira. Estas características fazem da Jersey uma raça eficiente para cruzamentos com outras raças, quando se pretende aumentar a produção de leite.
Na Índia, através de um programa de cruzamentos, visando diminuir a idade de parição e aumentar a produção leiteira das vacas zebuínas, ficou comprovado que touros Jersey geraram ótimas novilhas cruzadas. Animais com um tipo leiteiro ideal, pelas qualidades de simetria e ligamentos de úbere, que tiveram sua primeira cria aos dois anos de idade, com uma produção média de 12 kg de leite por dia.


9 - PRESERVAÇÃO AMBIENTAL
A raça Jersey é uma grande aliada da preservação ambiental e da conservação de recursos naturais. Segundo uma pesquisa inovadora da Dra. Jude Capper (Washigton State University), para a produção de queijo com a utilização de leite Jersey (gráfico), obtem-se reduções substanciais no uso da terra (11%) e da água (32%), no consumo de combustíveis fósseis, na quantidade de dejetos (49%) e na liberação de gases de efeito estufa (20%).
Isto é facilmente explicado pelas características da raça. A menor massa corporal dos animais Jersey reduz seus custos de manutenção e a maior densidade nutritiva do seu leite dilui os requerimentos com recursos naturais - especialmente a água.

 

Referências:

ACGJB - Associação dos Criadores de Gado Jersey do Brasil (www.gadojerseybr.com.br)

AJCA - American Jersey Cattle Association (www.usjersey.com)

J.L. Capper and R.A. Cady, " A comparison of the environmental impact of Jersey compared with Holstein milk for cheese production", J. Dairy Sci. 95: 165-176

Proluv
Top