Roney Ramos


Médico Veterinário, Doutor em Reprodução Animal pela USP

roney.ramos@genusplc.com

PUBLICAÇÕES

Consequências econômicas do uso da IATF em fazendas leiteiras - Entrevista com o Dr. Oscar Alejandro Ojeda-Rojas

07 de maio, 2019

Autor: Dr. Roney Ramos*, DVM. PhD

 

Apesar dos inúmeros benefícios do uso da IATF, muitas propriedades ainda não à utilizam de maneira consistente, abdicando dos ganhos econômicos gerados pela melhora na performance reprodutiva do rebanho. Para discutir sobre esse tema eu entrevistei o Dr. Oscar Alejandro que recentemente publicou, na Revista Brasileira de Zootecnia, o seguinte artigo: A simulation model to evaluate the economic consequences of insemination programs in dairy herds: Timed artificial insemination and sex-sorted semen.

Roney – Dr. Oscar Alejandro, muito obrigado pela sua disponibilidade. Sobre o artigo publicado, onde e quando as análises foram realizadas?

Alejandro – Prezado Roney, sou eu que agradeço a oportunidade. O Estudo foi desenvolvido no Laboratório de Análises Socioeconômicas e Ciência Animal, do Departamento de Nutrição e Produção Animal (VNP) da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia (FMVZ), da Universidade de São Paulo (USP). O laboratório está localizado no Campus Fernando Costa da USP, no munícípio de Pirassununga, SP.

Os resultados fazem parte da minha dissertação de Mestrado, a qual foi desenvolvida entre os anos de 2015 e 2016. O artigo foi publicado em 2018.  

Roney – Qual foi o principal achado e/ou conclusão do artigo?

Alejandro – Basicamente temos que, sob as condições simuladas, os cenários que usaram a Inseminação Artificial em Tempo Fixo (IATF) como método reprodutivo tiveram desempenho técnico e econômico superior daqueles cenários que usaram Inseminação Artificial (IA) após a detecção de cio. Adicionalmente, o artigo demostra a aplicabilidade de modelos matemáticos que auxiliam o processo de tomada de decisão nas fazendas. Em pecuária, isto é especialmente relevante dado que os ciclos produtivos são longos e muitas vezes a avaliação dos investimentos feitos é complexa, já que os retornos, no melhor dos casos, chegarão vários meses após o uso das técnicas, e ainda provenientes de diversas fontes. Semelhante ao que acontece em outros segmentos da economia, torna-se necessário que os pecuaristas incorporem ferramentas que lhes auxiliem no processo de tomada de decisão de forma objetiva. Ferramentas como a simulação que lhes permitam avaliar diferentes estratégias com a possibilidade de medir o efeito econômico e produtivo dos procedimentos à serem estabelecidos sem incorrer em grandes despesas ou em distúrbios ao sistema real com a possibilidade de observar a operação do processo a partir de vários ângulos e níveis de abstração.

Roney – O benefício econômico da IATF é diferente quando se usa semen sexado?

Alejandro – Sim, levando em consideração as caraterísticas que foram simuladas, o benefício econômico foi menor no cenário que considerou IATF usando sêmen sexado em relação ao sêmen convencional, mas é preciso analisar isto com cautela. A seguir, vou explicar o por quê.

Nosso modelo de simulação considerou dois cenários para a IATF. Um deles usou sêmen convencional para 100% das fêmeas em idade reprodutiva, independente da categoria. O segundo cenário, usou sêmen sexado, igualmente na totalidade das fêmeas em idade reprodutiva, independente da categoria. Adicionalmente, como acontece no campo, consideramos taxas de concepção diferentes para o sêmen convencional, sendo em vacas de 31.5% e em novilhas de 56.3%. As taxas de concepção para o sêmen sexado foram de 23% e de 39%, respectivamente para vacas e novilhas. Finalmente, o preço do sêmen convencional foi fixado em R$ 29.9 e do sêmen sexado em R$ 89.87. Desta forma, o cenário de IATF usando sêmen sexado teve desempenho técnico e econômico inferior quando comparado com o cenário do sêmen convencional, porém cabe ressaltar que diversas combinações tecnológicas podem ser empregadas e nosso estudo não considerou todas as opções possíveis. Por exemplo, um cenário que considere o uso de sêmen sexado somente na categoria animal na qual a taxa de concepção é a melhor, por exemplo, em novilhas. Cada combinação tecnológica é uma realidade especifica que precisa ser analisada separadamente. Obviamente, novas tecnologias de sexagem que aumentem a fertilidade do sêmen sexado poderão afetar os resultados, tornando o uso do sêmen sexado ainda mais atrativo.   

Roney – Qual foi a taxa de retorno no valor investido na IATF?

Alejandro – Quando a IATF foi empregada usando sêmen sexado a Taxa Interna de Retorno (TIR) foi de 63.52%. No cenário da IATF usando sêmen convencional a TIR foi de 70.22%. Adicionalmente quando comparado com o cenário considerado como com menos tecnologia envolvida (cenário da IA após detecção de cio, usando sêmen convencional), a TIR do cenário de IATF com sêmen convencional foi 18.14% superior.

Roney – Devido ao aumento da eficiência do semen sexado nos últimos anos várias propriedades aqui nos Estados Unidos tem usado sêmen de gado de corte nos animais de genética inferior para aumentar o fluxo de caixa e mantendo boas taxas de reposição. Apesar da grande diferença de mercado, você acredita que isso posso ser uma alternativa no Brasil?

Alejandro – Acredito que sim. Logicamente, como você bem descreve, este tipo de decisão deve estar atreladas às condições locais de mercado e principalmente às boas práticas de gestão da propriedade. Acredito que as biotecnologias tem que ser vistas como uma caixa de ferramentas à disposição do produtor, com a possibilidade de ser usada de acordo com a necessidade de cada um. Assim, por exemplo, na realidade que você comentou, garantir que a reposição do rebanho tenha origem só em uma pequena parcela dos animais de desempenho e genética superior por meio do sêmen sexado e ter a possibilidade de usar aqueles de pouca relevância zootécnica para a obtenção de produto de fácil comercialização é uma vantagem competitiva importante, que sem dúvida alguma contribuirá com a saúde financeira dessa empresa pecuária. Na realidade brasileira este mesmo enfoque talvez seria mais interessante substituindo o sêmen de gado de corte por sêmen de um touro da raça Gir nessas matrizes de desempenho inferior, com o objetivo de produzir F1 Gir x Holandês.

Roney – Qual mensagem final você deixaria para os produtores de leite e técnicos do Brasil?

Alejandro – A escolha de uma biotecnologia ou outra, como a IATF ou o sêmen sexado, dependerá especificamente das condições de cada propriedade.  As análises e avalições das estratégias reprodutivas vão além dos investimentos para cada uma delas, os quais na maioria dos casos são de fácil comparação, como o sêmen, hormônios e mão de obra. A estratégia reprodutiva, seja ela bem sucedida ou não, modifica a dinâmica do rebanho, alterando as taxas de descarte e a oferta de animais de reposição, entre muitas outras características, gerando prejuízos ou benefícios, que por sua vez podem ser maiores que os custos de implementação da técnica.

Avaliar o retorno dos investimentos feitos em biotecnologias reprodutivas não é uma tarefa trivial, como mencionado anteriormente, a interação de inúmeras variáveis que se afetam mutuamente dentro de um ciclo produtivo longo dificultam este processo. Cabe ao pecuarista e a sua equipe técnica, analisarem de forma objetiva a viabilidade das estratégias reprodutivas a serem adotadas e seu impacto sobre a eficiência técnica e econômica da empresa pecuária. Neste contexto, pode-se entender a importância de ferramentas como a simulação que, considerando uma grande quantidade de variáveis (técnicas e econômicas), permitem avaliar de forma objetiva a tomada de decisões. Os modelos de simulação são técnicas poderosas que permitem a abstração física ou matemática da realidade de um sistema. Adicionalmente têm a capacidade de suportar as principais interações e refletir o comportamento do sistema estudado. Além disso, é possível fazer alterações nas variáveis e parâmetros, e avaliar seus resultados, com o fim de prever as consequências. Sob a ótica do empresário ou consultor a possibilidade de ter uma avaliação objetiva antecipada do comportamento técnico e econômico do seu sistema após da inclusão de um novo procedimento ou uma nova tecnologia, representa uma vantagem competitiva evidente.

 

Referências

BARUSELLI, P.S. Avaliação do mercado de IATF no Brasil. Boletim Eletrônico do Departamento de Reprodução Animal/FMVZ/USP, 1. ed., 2019. Acesso < http://vra.fmvz.usp.br/boletim-eletronico-vra/>

Ojeda-Rojas, et al., 2018. A simulation model to evaluate the economic consequences of insemination programs in dairy herds: timed artificial insemination and sex-sorted semen. Acesso http://dx.doi.org/10.1590/rbz4720170344

_____________________________________________________________________________________________________________

*Dr. Roney RamosMédico Veterinário formado pela PUC-RS, Doutor em Reprodução Animal pela USP. Também é Técnico em Pecuária formado pela Escola Estadual Técnica de Agricultura. Entre 2013 e 2014, atuou como pesquisador visitante na Texas A&M Research Center in Amarillo, Texas - EUA, atuando principalmente com o manejo reprodutivo de rebanhos leiteiros em larga escala. Membro da Sociedade Brasileira de Tecnologia de Embriões (SBTE) e da International Embryo Tranfer Society (IETS). Com diversas publicações internacionais é também revisor científico de importantes periódicos como Theriogenology, Animal Reproduction, Gynecological Endocrinology e Cell and Tissue Research. Em 2016, foi premiado pela CAPES como autor de uma das três melhores teses de doutorado defendida em em todo o Brasil na área de medicina veterinária. Atualmente é Consultor de Serviços Técnicos na ABS Global (EUA), onde é responsável por fornecer assistência técnica para fazendas de bovinos leiteiros em dez estados norte americanos, focando principalmente nas áreas de Reprodução, manejo e qualidade de leite.

Proluv
Top