ABRALETE cria comissão para rotulagem de Leite A2

ABRALETE cria comissão para rotulagem de Leite A2

03 de março, 2019

A ABRALEITE (Associação Brasileira dos Produtores de Leite) acabou de criar a “Comissão do Leite A2”, visando intensificar o trabalho junto aos orgãos federais competentes para a regulamentação do produto. 

Há mais de um ano, a entidade vem trabalhando para que seja feita a regulamentação e a rotulagem do leite A2 no Brasil, tendo tratado com a Anvisa e o MAPA (Ministério da Agricultura), bem como participado de diversas reuniões e do 1° evento que tratou exclusivamente do A2, em agosto de 2017, na cidade de Novo Horizonte (SP).

O Leite A2 é extraído de vacas que não produzem proteínas beta-caseína A1, as quais são causadoras da maioria das alergias relacionadas ao produto.

Segundo o Movimento #BebaMaisLeite, apesar de existir farta informação sobre o assunto, muitas pessoas – inclusive profissionais do meio científico – confundem a intolerância à lactose com a alergia à proteína do leite (APLV). Isto acontece porque ambas são causadas pelo mesmo alimento e também podem gerar alguns sintomas semelhantes, como cólicas e diarreia. Porém, são quadros completamente diferentes.

A tal caseína tem uma composição muito equilibrada e especial, incluindo todos os nove aminoácidos essenciais, que são muito importantes para o crescimento e o desenvolvimento de crianças e jovens. Essa proteína de alta qualidade, presente no leite de vaca, é uma das principais razões que faz do leite um alimento tão significativo.

Além da função nutricional, a caseína é o meio que viabiliza a disponibilização de grande quantidade de cálcio aos bebês, pois ela é essencial para que o cálcio possa passar pelo epitélio mamário sem provocar problemas de calcificação. A beta-caseína compõe aproximadamente 30% da proteína total do leite de vaca e os tipos mais comuns encontrados nos bovinos são A1 e A2.

Para Geraldo Borges (Presidente da ABRALEITE), o leite A2 representa um nicho de mercado promissor, com potencial para gerar dividendos ao setor que vem enfrentando dificuldades nos últimos anos, em razão da queda de preços e aumento custos de produção. 

Segundo o presidente, a comissão é formada por 26 membros da diretoria e dos conselhos da ABRALEITE. O coordenador do grupo é Roberto Jank Jr., a primeira secretária é Flávia Fontes e o segundo secretário, Marcos Corteletti. Algumas instituições de pesquisa e ensino, como a Embrapa Gado de Leite, o IZ, o Nital e a USP, também foram convidadas para integrar o time.

A comissão foi encarregada de elaborar a pauta que será encaminhada ao Ministério da Agricultura e outros órgãos visando regulamentar e certificar o leite A2. O grupo também apresentará algumas das ações já desenvolvidas, como a criação do Selo Vacas A2A2.

 

Fonte: ABRALEITE 

  • HIBRITE: a vaca Jersey que mais produziu leite no mundo

    Marcelo de Paula Xavier

    Produtor Rural, Administrador de Empresas e Mestre em Agronegócios

    HIBRITE: a vaca Jersey que mais produziu leite no mundo

  • Os cuidados com a anotação de dados e os impactos na avaliação genética

    Victor Breno Pedrosa

    Zootecnista, Prof. Dr. de Melhoramento Animal e Estatística

    Os cuidados com a anotação de dados e os impactos na avaliação genética

  • A importância do uso da “Ração Total Misturada” (TMR)

    João Ricardo Alves Pereira

    Zootecnista, Doutor em Nutrição Animal e Pastagens

    A importância do uso da “Ração Total Misturada” (TMR)

Proluv
Top