Tomada de decisão na propriedade exige análise de custos

Tomada de decisão na propriedade exige análise de custos

12 de fevereiro, 2020

Segundo o CEPEA, uma das vantagens de se realizar a análise de custos nas propriedades de leite é definir o volume de produção necessário para trazer retornos financeiros ao produtor. Desta forma, obtém-se subsídio para o planejamento da atividade e a tomada de decisões.

O cálculo do volume de leite necessário para cobrir o custo é simples, basta dividir o valor total dos custos pelo preço pago pelo litro de leite. O resultado obtido, também chamado de "break-even" ou “ponto de equilíbrio”, nada mais é do que a quantidade mínima de leite a ser produzida para se começar a geração de retornos financeiros ao produtor.

Com o objetivo de auxiliar e incentivar os produtores de leite a realizarem esse tipo de avaliação dentro de suas realidades produtivas, o CEPEA/CNA realizou uma análise do ponto de equilíbrio, tomando-se como base as propriedades do projeto Campo Futuro.

As fazendas típicas foram agrupadas em função do seu sistema produtivo, com os seguintes grupos:

  • Propriedades extensivas => aquelas com produtividade menor que 1.000 L/hectare/ano e custos com concentrado menor que R$ 100,00 ha/ano;
  • Propriedades semi-intensivas => aquelas com produtividade entre 1.000 e 9.000 L/ha/ano;
  • Propriedades intensivas => aquelas com produtividade superior a 10.000 L/ha/ano.

Nesta análise, levou-se em conta o Custo Operacional Total (COT) que contabiliza os desembolsos, depreciações e o pró-labore.

No grupo de propriedades extensivas, a atividade leiteira é praticada - em média - em uma área de 96 hectares com produtividade de 577 L/ha/ano. Neste grupo, o ponto de nivelamento do COT é de 598 L/ha/ano, o que equivaleria a aproximadamente 160 litros de produção diária.

Já, no grupo das semi-intensivas a área útil - em média - é de 57 ha com produtividade de 3.131 L/ha/ano. Para este agrupamento, o ponto de nivelamento do COT é de 3.437 L/ha/ano, o que equivaleria a uma produção diária em torno de 545 litros.

No grupo das propriedades extensivas, por sua vez, a área útil média é de 35 ha com produtividade de 14.584 L/ha/ano. Para estas propriedades, o ponto de nivelamento do COT é 14.703 L/ha/ano, o que corresponderia a uma produção diária de cerca de 1.420 litros.

A partir dos resultados obtidos é possível afirmar que, em todos os sistemas produtivos avaliados, ainda há melhorias a serem realizadas para se atingir a produtividade do ponto de nivelamento. Mesmo nas propriedades intensivas ainda seria necessária a elevação da produtividade em 0,81% para se atinjir o ponto de equilíbrio.

De toda forma, realizar a consolidação dos custos de produção é fundamental para que o produtor possa aferir qual é o ponto de equilíbrio de sua atividade. Além disto, esta análise também fornece um diagnóstico que apontará em qual setor (seja ele nutrição, sanidade, reprodução, mão de obra) há eficiência e qual necessita de ajustes.

 

Fonte: CEPEA/ESALQ - Centro de Estudos Avançados em Economia Aplicada

  • HIBRITE: a vaca Jersey que mais produziu leite no mundo

    Marcelo de Paula Xavier

    Produtor Rural, Administrador de Empresas e Mestre em Agronegócios

    HIBRITE: a vaca Jersey que mais produziu leite no mundo

  • Os cuidados com a anotação de dados e os impactos na avaliação genética

    Victor Breno Pedrosa

    Zootecnista, Prof. Dr. de Melhoramento Animal e Estatística

    Os cuidados com a anotação de dados e os impactos na avaliação genética

  • A importância do uso da “Ração Total Misturada” (TMR)

    João Ricardo Alves Pereira

    Zootecnista, Doutor em Nutrição Animal e Pastagens

    A importância do uso da “Ração Total Misturada” (TMR)

Proluv
Top