Cooperativas de lácteos dos Campos Gerais fecham 2020 com mais de R$ 2 bilhões de faturamento

Cooperativas de lácteos dos Campos Gerais fecham 2020 com mais de R$ 2 bilhões de faturamento

28 de fevereiro, 2021

As cooperativas Frísia, Castrolanda e Capal, representadas pela marca institucional Unium, fecharam o ano de 2020 com novas conquistas, apesar das dificuldades impostas pela pandemia da Covid-19. Com 1.114 colaboradores divididos entre três Unidades de Beneficiamento de Leite (em Castro, Ponta Grossa e Itapetininga), a produção de lácteos atingiu um volume de produção de 3,541 milhões de litros por dia em 2020.

Para o gerente comercial da Castrolanda, Egidio Maffei, os bons resultados do setor são reflexo da mudança de consumo dos brasileiros. “Foi notável o aumento no consumo de leite e derivados no ano de 2020, impulsionados, principalmente, pelo auxílio emergencial, pelo crescimento do home office e das refeições em casa, e esse aumento teve impacto direto na indústria. Além disso, a Unium segue investindo em tecnologia e expansão para aumentar cada vez mais sua capacidade de produção”, ressalta. 

Em 2020, a Unium investiu mais de R$18 milhões na estrutura de lácteos. “O investimento na indústria e o aumento no consumo andam juntos. Quanto mais nos dedicamos ao ciclo produtivo e à qualidade dos produtos, mais seremos reconhecidos, tanto nas prateleiras dos supermercados como pelas empresas parceiras para as quais industrializamos”, explica Maffei. 

Projetos para 2021

Para este ano, a expectativa é desenvolver ainda mais a área. “Dentro da Unium, o ramo de lácteos é um carro forte e o objetivo, ano após ano, é ganhar ainda mais reconhecimento e qualidade para os produtos. Em 2021 já começamos com uma conquista importante, que foi a renovação da certificação internacional FSSC 22000”, conta. 

Essa certificação, concedida pela Bureau Veritas – organização mundial responsável por indicar padrões relacionados à comercialização, respeito ao meio ambiente e segurança dos alimentos -, foi renovada para a Unidade de Beneficiamento de Leite (UBL) da Unium em Itapetininga/SP.

A indústria recebeu a validação após auditoria realizada na primeira quinzena de 2021 e traz credibilidade a toda cadeia envolvida, visto que 95% da produção da cooperativa é destinada a multinacionais e empresas nacionais de grande porte. O reconhecimento global é baseado no sistema de gestão e trata das exigências para produtos acabados e os processos. 

A Unidade de Beneficiamento de Leite (UBL) Ponta Grossa/PR, também está direcionando esforços para que, ao longo de 2021, conclua o seu processo de certificação na FSSC 22.000. Já a Unidade de Beneficiamento de Leite (UBL) de Castro/PR, que atualmente já possui a FSSC 22.0000, deve passar pela recertificação até abril deste ano. 

Além disso, outro destaque para o sucesso do setor são as parcerias e relações comerciais entre empresas. “A Unium conta os maiores players do mercado de lácteos como parceiros comerciais como multinacionais e grandes empresas nacionais de referência na área. E essa parceria e troca de experiências trazem ainda mais força para todas as envolvidas”, finaliza o gerente. 

 

Sobre a Unium

Marca institucional das indústrias das cooperativas Frísia, Castrolanda e Capal, a Unium representa os projetos em que as cooperativas paranaenses atuam em parceria. Conta com três marcas de lácteos: Naturalle – com produtos livres de aditivos -, Colônia Holandesa e Colaso. No setor de grãos, a Unium tem a marca Herança Holandesa – farinha de trigo produzida em uma unidade totalmente adequada à ISO 22000, com elevados padrões de exigência.

Além disso, fazem parte dos negócios a Alegra, indústria de alimentos derivados da carne suína, e a Energik, usina de produção de energia sustentável, todas reconhecidas pela qualidade e excelência. Mais informações: http://unium.coop.br/

 

Fonte: Central Press - Gabriela Michtal

  • Por que o número de vacas Jersey vem aumentando na América do Norte?

    Marcelo de Paula Xavier

    Produtor Rural, Administrador de Empresas e Mestre em Agronegócios

    Por que o número de vacas Jersey vem aumentando na América do Norte?

  • Veronica continua mostrando porque é uma das maiores vacas Jersey de todos os tempos

    Marcelo de Paula Xavier

    Produtor Rural, Administrador de Empresas e Mestre em Agronegócios

    Veronica continua mostrando porque é uma das maiores vacas Jersey de todos os tempos

  • Importância da manutenção preventiva em sistemas de ordenha

    Jeferson Luiz Piccoli

    Especialista em Sistemas de Ordenha

    Importância da manutenção preventiva em sistemas de ordenha

Proluv
Top