Estudo comprova que quem gosta de queijo vive mais!

Estudo comprova que quem gosta de queijo vive mais!

02 de junho, 2019

Qual o segredo para uma vida longa e feliz? Comer mais queijo!

Sim, estamos falando de queijos e de todos os outros produtos lácteos, especialmente os mais envelhecidos. Segundo uma pesquisa publicada pela revista Nature Medicine, estes derivados do processamente de leite seriam o verdadeiro elixir da longevidade. Boa notícia, portanto, para os amantes da boa comida, que agora têm mais um motivo para serem felizes.

De acordo com o estudo em tela, a fonte do bem-estar seria uma substância encontrada nos queijos, pertencentes ao grupo das poliaminas, composto que reduz a incidência de doenças cardiovasculares e atua como fator de proteção. A primeira fase da análise usou alguns ratos de laboratório como sujeitos de observação, aos quais foram dados diferentes tipos de queijo, controlando seu estado de saúde a longo prazo e a maneira pela qual essa dieta influenciou sua expectativa de vida.

A segunda fase dizia respeito ao homem, usando um dos principais países consumidores de queijo - a Itália - como área de pesquisa. A amostra de 800 pessoas revelou uma conexão significativa entre o consumo de alimentos lácteos e a menor probabilidade de sofrer de doenças circulatórias ou cardíacas.

A incidência dessas doenças em alguns casos foi reduzida em até 40% em comparação com indivíduos que não costumam comer esses produtos. As poliaminas atuam não apenas como antioxidantes e desintoxicantes naturais, mas também como reparadoras de tecidos danificados, retardando o envelhecimento celular.

A descoberta entusiasmante, no entanto, não deve ser uma razão para consumir quilos de parmesão, também porque a presença de uma boa quantidade de proteínas e gorduras não pode ser ignorada. O estudo, como os anteriores, apenas confirmou que a inclusão de quantidades moderadas de queijo na dieta pode ser benéfica para o bem-estar.

De fato, a pesquisa destaca como é particularmente limitada a tipos não-frescos e moles, como ricota ou mussarela, mesmo que estes também contenham sua porcentagem de poliaminas. Como sabemos, o segredo é comer um pouco de tudo, sem exagerar e, acima de tudo, escolher alimentos de qualidade!

 

Fonte: Nature Medicine

  • A genética pode influenciar a produção do leite A2/A2?

    Victor Breno Pedrosa

    Zootecnista, Prof. Dr. de Melhoramento Animal e Estatística

    A genética pode influenciar a produção do leite A2/A2?

  • Medindo e evoluindo a vaca Jersey

    Marcelo de Paula Xavier

    Produtor Rural, Administrador de Empresas e Mestre em Agronegócios

    Medindo e evoluindo a vaca Jersey

  • Comercialização de silagem pré-secada em fardos

    João Ricardo Alves Pereira

    Zootecnista, Doutor em Nutrição Animal e Pastagens

    Comercialização de silagem pré-secada em fardos

Proluv
Top