Fazendeiros britânicos estão transformando esterco de vaca em biocombustível

Fazendeiros britânicos estão transformando esterco de vaca em biocombustível

09 de outubro, 2020

A Arla Foods – principal cooperativa de laticínios do Reino Unido – está mirando a sustentabilidade e transformando os dejetos das vacas de suas fazendas em combustível para veículos. Esse novo e importante teste significa que os produtores da Arla enviarão o esterco de suas vacas para uma usina de fermentação anaeróbica próxima, onde este será dividido em diferentes componentes – incluindo biometano limpo – e convertido em combustível utilizável.

Assim, a Arla torna-se a primeira empresa do Reino Unido a utilizar resíduos de suas próprias fazendas para gerar energia para sua frota. O processo também criará fertilizantes naturais ricos em nutrientes que os produtores da Arla poderão usar em suas fazendas, gerando um ciclo totalmente fechado, algo que nunca foi feito antes.

O teste de três meses envolverá dois caminhões-tanque especiais da Arla que foram adaptados para funcionar com biocombustível, transportando leite entre plantas de processamento de laticínios. Juntos, eles devem cobrir cerca de 90.000 km e ajudar a reduzir o impacto de carbono da Arla em 80 toneladas – o equivalente a 23 viagens de carro em todo o mundo. Provando que os dejetos são tão importantes quanto o leite, a Arla usará esterco de 500 vacas – cerca de 190 toneladas de chorume por semana – para criar incríveis 27.000 kg de biocombustível para alimentar os veículos de teste.

Para marcar o lançamento da teste, a cooperativa de propriedade de fazendeiros implantou o primeiro posto de combustível “movido a vaca” do Reino Unido em uma das fazendas participantes em Winslow, Bucks. 

Ian Barker, um cooperado da Arla envolvido no estudo, disse: “Muitos de nós reconhecemos o quão valioso é o leite de vaca, mas muitos não estão cientes de que o estrume é tão importante. Processar esterco de vaca dessa maneira nos fornece uma fonte ilimitada de energia...e a matéria sólida que sobra após o processo se torna um fertilizante ainda mais rico para meus campos, então é uma situação em que todos ganham.”

Graham Wilkinson, Diretor de Agricultura da Arla disse: “Usar estrume de nossas fazendas está nos ajudando a reduzir nosso desperdício e depender menos de combustíveis fósseis que poluem o ar, portanto, é uma decisão óbvia para nós. Com a ajuda de nossos produtores e parceiros, temos um ciclo totalmente fechado que – em escala – pode ser revolucionário para ajudar a alimentar um futuro mais verde.”

A Arla está usando o teste para avaliar as oportunidades de expansão das oportunidades de transporte movido a dejetos em sua cadeia de valor. Se for um sucesso, estabelecerá bases claras de como a indústria de laticínios pode unir forças com o governo e outros parceiros para permitir novas soluções de combustível que reduzam o impacto ambiental.

 

Tradução: Equipe Canal do Leite

Disponível em: https://news.arlafoods.co.uk/news/forget-horsepower-britains-farmers-are-turning-to-cow-power-in-a-bid-to-be-more-sustainable

  • HIBRITE: a vaca Jersey que mais produziu leite no mundo

    Marcelo de Paula Xavier

    Produtor Rural, Administrador de Empresas e Mestre em Agronegócios

    HIBRITE: a vaca Jersey que mais produziu leite no mundo

  • Os cuidados com a anotação de dados e os impactos na avaliação genética

    Victor Breno Pedrosa

    Zootecnista, Prof. Dr. de Melhoramento Animal e Estatística

    Os cuidados com a anotação de dados e os impactos na avaliação genética

  • A importância do uso da “Ração Total Misturada” (TMR)

    João Ricardo Alves Pereira

    Zootecnista, Doutor em Nutrição Animal e Pastagens

    A importância do uso da “Ração Total Misturada” (TMR)

Proluv
Top