Pesquisa revela a possibilidade de melhoria na acurácia das avaliações genômicas

Pesquisa revela a possibilidade de melhoria na acurácia das avaliações genômicas

08 de agosto, 2019

Uma pesquisa feita pela Federação Irlandesa dos Criadores de Gado (ICBF) revelou que a precisão das avaliações genômicas poderia ser melhorada ainda mais “se as vacas genotipadas também fossem incluídas na população de referência”.

A população de referência é fundamental para a seleção genômica. Ela se constitui de uma grande população genotipada de animais com informações precisas sobre desempenho, como produção de leite ou fertilidade, por exemplo. As associações entre o DNA e as medidas de desempenho são, então, derivadas dessa população.

Existem “mais de 8.000 animais informativos dentro da população de referência irlandesa de gado holandês”. Mas, segundo a ICBF, aumentar “o tamanho da população de referência é essencial para garantir que as estimativas de previsões genômicas sejam mais precisas”.

Na Irlanda, de acordo com a ICBF, a “confiabilidade média das provas genômicas de animais jovens é de 63%”. Um recente exercício de validação desta entidade, revelou que a precisão das avaliações genômicas é 16-35% mais alta do que as avaliações baseadas apenas na média dos pais.

No entanto, conforme se pode ver na tabela abaixo, incluir “vacas genotipadas” na população “melhora a precisão em mais 5% a 10% do que usando apenas informações sobre touros”.

Valor da genotipagem das fêmeas no rebanho

O custo atual da genotipagem de bezerras fêmeas na Irlanda é de “€ 22 / cabeça". Porém, de acordo com a ICBF, este custo em bezerras de leite pode ser “recuperado através de uma melhor seleção das reposições do rebanho”.

Para explicar isto, afirmou: “Um rebanho que mantém 80% das bezerras como substitutas e tem uma taxa de reposição de 21% tem um benefício líquido esperado de genotipagem de € 33 por bezerra retida”.

Outros benefícios, como mostrado pela ICBF, incluem: confirmação de parentesco; identificação de genes letais; estimativa de endogamia; e previsão da composição racial de um animal.

Minimizando Risco

A ICBF também expressou a importância da “seleção de um time de reprodutores ao se usar touros genômicos, para minimizar os riscos associados”; sendo esta uma mudança no EBI* de um animal à medida que mais informações se acumulam.

Aconselhando os produtores, a entidade afirmou: “Um time de touros deve ser usado com seu o tamanho mínimo sendo dependente do tamanho do rebanho; isso alcança uma confiabilidade de 95%".

A tabela acima mostra o número recomendado de touros para cada tamanho de rebanho. Para concluir, o ICBF declarou: “A seleção genômica está acelerando a taxa de ganho genético no EBI através da identificação mais precisa de machos e fêmeas geneticamente de elite. "No entanto, é importante minimizar o risco associado à seleção genômica usando grandes equipes de touro."

 

Fonte: ICBF

____________________________________________________________________________________________

*O EBI (Índice Econômico de Criação) é um índice de lucro que visa ajudar os produtores a identificar os touros e as vacas mais lucrativas para a seleção dos animais de reposição dos rebanhos leiteiros. Ele compreende informações de 7 sub-índices relacionados à produção rentável de leite.

 

 

  • A genética pode influenciar a produção do leite A2/A2?

    Victor Breno Pedrosa

    Zootecnista, Prof. Dr. de Melhoramento Animal e Estatística

    A genética pode influenciar a produção do leite A2/A2?

  • Medindo e evoluindo a vaca Jersey

    Marcelo de Paula Xavier

    Produtor Rural, Administrador de Empresas e Mestre em Agronegócios

    Medindo e evoluindo a vaca Jersey

  • Comercialização de silagem pré-secada em fardos

    João Ricardo Alves Pereira

    Zootecnista, Doutor em Nutrição Animal e Pastagens

    Comercialização de silagem pré-secada em fardos

Proluv
Top