Será que o preço do leite é o fator mais importante na rentabilidade de uma fazenda leiteira?

Será que o preço do leite é o fator mais importante na rentabilidade de uma fazenda leiteira?

23 de janeiro, 2023

Escrito por André Navarro Lobato (PDPL/PCEPL-UFV)

 

É comum escutarmos no campo algumas frases como: “Meu preço do leite está muito baixo!”, “Com esse preço de leite não dá pra continuar na atividade!”. De fato, e já respondendo à pergunta do título, sim, o preço do leite é importante no sucesso econômico em propriedades leiteiras.

Mas, será que o preço do leite é o fator mais importante? 

Para responder a mais essa pergunta, nós do PDPL (Programa de Desenvolvimento da Pecuária Leiteira – UFV) fizemos uma análise em 32 fazendas sob nossa consultoria. Fazendas com diferentes sistemas de produção (semi-confinado, free stall, compost barn) e vendendo leite para diferentes laticínios.

Separamos as 7 fazendas com maiores e menores ML (Margem Líquida por Litro de leite) (Gráfico 1) e analisamos os custos médio desses dois grupos. O período analisado foi de 12 meses (Junho de 2021 a Maio de 2022). Todos os dados foram corrigidos para inflação com IGP-DI de Junho 2022 da Fundação Getúlio Vargas.

Margem Líquida = Renda Bruta da atividade leiteira – Custo Operacional Total (todos os custos incluindo o valor da mão de obra familiar e depreciações de máquinas, benfeitorias, animais de serviço e forrageiras não anuais)

Gráfico 1. Margem líquida por litro de leite (R$/L) 

Como foi o preço do leite médio recebido por esses dois grupos?

Uma das primeiras coisas que pensamos quando vemos os resultados do Gráfico 1 é que os produtores mais eficientes economicamente devem ter recebido mais pelo leite vendido. Realmente, podemos ver no Gráfico 2, que esse grupo recebeu em média R$ 0,05 a mais.

Gráfico 2. Preço médio do leite (R$/L)

Está aí a explicação par ao sucesso financeiro?

Não. Certamente 5 centavos tem o seu impacto na receita, mas veremos a seguir que o que impacta significativamente é o custo de produção do leite.

Abaixo, no gráfico 3, está o Custo Operacional Total da Atividade por litro de leite (COT/L) dos dois grupos, superiores e inferiores em Margem Líquida.

Gráfico 3. Custo Operacional Total da Atividade por litro de leite (COT/L)

Há uma diferença entre os dois grupos de 70 centavos por litro! Reparem que o COT/L do grupo dos inferiores foi de R$2,59, ficando acima do preço do leite, R$2,49, e ainda assim eles tiveram uma ML/L positiva, de R$0,11. Isso mostra a importância de outras fontes de renda além da venda do leite, como venda de animais, volumoso excedente, etc.

Vários fatores compõem essa variação no custo de produção, mas gostaria de destacar o principal deles: Gasto com Concentrado / Renda Bruta da Atividade. São 15,2 pontos percentuais de diferença como podemos ver no Gráfico 4:

Gráfico 4. Gasto com concentrado / Renda Bruta (%) 

Diante do exposto, onde seria melhor focarmos nosso trabalho? Nos R$ 0,05 do preço do leite ou nos R$ 0,70 do custo de produção?

Costumo dizer que “chorar” preço de leite é de graça, mas jamais devemos nos apoiar nele como o principal culpado pelo fracasso na atividade. O preço do leite em sua maioria é definido por muitos fatores externos: dólar, mercado spot, importações de leite e derivados, e no final das contas quase tudo irá girar em torno da Lei da Oferta e Demanda. 

Nossos esforços devem se concentrar da porteira pra dentro. Fazendas “redondas” com bons indicadores passam bem por momentos de crises. O mais importante é a eficiência nos diferentes setores da fazenda, reprodução produção de volumosos e concentrados, qualidade do leite, cria e recria, pré-parto, conforto e bem-estar animal.

A produção de leite é uma atividade extremamente laboriosa, de domingo a domingo, e que cada vez mais não tem dado espaço para amadores. A gestão técnica e econômica hoje já não deve ser algo somente para algumas fazendas, deve fazer parte do “arroz com feijão”, é o básico para manter a atividade atrativa economicamente.

 

Fonte: Milk Point

  • Etapas de higienização por sistema Clean in Place (CIP) e latão ao pé

    Gabriel Augusto Marques Rossi

    Médico Veterinário - Professor Dr. Unesp/Jaboticabal

    Etapas de higienização por sistema Clean in Place (CIP) e latão ao pé

  • EUA: Jersey bate todos os recordes de produção mais uma vez

    Marcelo de Paula Xavier

    Produtor Rural, Administrador de Empresas e Mestre em Agronegócios

    EUA: Jersey bate todos os recordes de produção mais uma vez

  • Velocidade de ordenha e lesões nos tetos

    Jeferson Luiz Piccoli

    Especialista em Sistemas de Ordenha

    Velocidade de ordenha e lesões nos tetos

Proluv
Top