Paraná será sede da maior fábrica de queijos do Brasil

Paraná será sede da maior fábrica de queijos do Brasil

São Jorge D'Oeste, município localizado no Sudoeste do Paraná e com pouco mais de 9 mil habitantes, vai abrigar a maior fábrica de queijo do Brasil. A unidade fabril da empresa Piracanjuba será construída em um espaço de 48,7 hectares, às margens da PR-281. O anúncio foi feito nesta terça-feira (21), em solenidade com a presença do governador Carlos Massa Ratinho Junior.

A previsão inicial de investimento é de R$ 80 milhões e a expectativa é de geração de 300 empregos diretos. Inicialmente, a fábrica deverá processar cerca de 600 mil litros de leite por dia, mas a capacidade de processamento da unidade vai ultrapassar os 2 milhões de litros por dia, quando estiver em pleno funcionamento.

O governador Ratinho Junior enfatizou a importância da pecuária de leite na região: “Esta indústria reforça a vocação regional, já que o Sudoeste é a maior bacia leiteira do Estado. Então a nossa produção será industrializada aqui, gerando mais valor agregado”, disse o governador. Ele destacou a importância da produção leiteira paranaense, que processa mais de 4 bilhões de litros de leite por ano e é a segunda maior do País.

O superintendente da companhia, César Helou, destacou que o projeto inicial passou por uma reformulação, o que fará da unidade uma das mais importantes da Piracanjuba. “Esta não será apenas mais uma, mas sim a maior fábrica de queijo do Brasil, além de uma pequena fábrica de leite longa-vida e uma de manteiga”, afirmou ele. 

Esta unidade fabril será a segunda da Piracanjuba no Paraná. A outra fica na mesma região (na cidade de Sulina) e entrou em funcionamento em setembro do ano passado. Com capacidade para processar 150 mil litros de leite por dia, a indústria gera 70 empregos diretos na produção de queijo. 

A empresa nasceu em 1955 e hoje é uma das marcas de laticínios mais fortes do Brasil. A sua primeira unidade foi instalada na cidade de Piracanjuba (GO), o que deu origem ao nome da marca. Mais tarde, em 1986, a empresa mudou para Bela Vista de Goiás, o que gerou grande crescimento.

Hoje, a Piracanjuba pertence ao Grupo Laticínios Bela Vista e possui um portfólio com mais de 160 produtos. A empresa tem sete unidades fabris, localizadas em: Bela Vista de Goiás (GO), Governador Valadares (MG), Maravilha (SC), Sulina (PR), Araraquara (SP), Três Rios (RJ) e Carazinho (RS). As fábricas têm capacidade de processar mais de 6 milhões de litros de leite por dia e empregam mais de 3,2 mil colaboradores diretos. A companhia é uma das quatro maiores indústrias de laticínios do Brasil.

Produção de leite no Estado

O secretário de Agricultura do Paraná, Norberto Ortigara, lembrou que o leite é o quarto produto em geração de valor nas propriedades rurais do Paraná. “São entre 70 mil a 80 mil famílias paranaenses produzindo leite todo dia no Estado. Ao trazer uma indústria desse porte para o Sudoeste, a Piracanjuba mostra que acredita nesse nosso potencial, não apenas no volume de produção, mas também na qualidade do produto paranaense”, destacou ele.

Pesquisa da Pecuária Municipal (PPM) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE) confirma que o Paraná passou de terceiro para segundo maior produtor de leite do Brasil, com 4,4 bilhões de litros produzidos em 2018. Com isto, o Estado ficou atrás de Minas Gerais (1º colocado) e a frente do Rio Grande do Sul (3º colocado).

O município de Castro (PR), na região dos Campos Gerais, lidera a produção brasileira com 292 milhões de litros. Em segundo lugar está Patos de Minas (MG), que produziu 193 milhões de litros. No Paraná, outro destaque é Carambeí, com 180 milhões de litros, que ocupa a terceira posição no ranking nacional.

Em dez anos (2008 a 2018), a produção paranaense de leite cresceu 55%. Em termos de produtividade, Carambeí e Castro produzem quatro vezes mais do que a média brasileira, a qual é de dois mil litros por vaca ao ano. Os dois municípios paranaenses produzem 9 mil litros e 8, 3 mil litros por vaca, respectivamente.

 

Fonte: Secretaria de Agricultura do Paraná

  • Os cuidados com a anotação de dados e os impactos na avaliação genética

    Victor Breno Pedrosa

    Zootecnista, Prof. Dr. de Melhoramento Animal e Estatística

    Os cuidados com a anotação de dados e os impactos na avaliação genética

  • A importância do uso da “Ração Total Misturada” (TMR)

    João Ricardo Alves Pereira

    Zootecnista, Doutor em Nutrição Animal e Pastagens

    A importância do uso da “Ração Total Misturada” (TMR)

  • JUBILEE: recordista mundial de produção de leite na raça Jersey

    Marcelo de Paula Xavier

    Produtor Rural, Administrador de Empresas e Mestre em Agronegócios

    JUBILEE: recordista mundial de produção de leite na raça Jersey

Proluv
Top