Perspectiva climática: não deve faltar chuva para o milho safrinha

Perspectiva climática: não deve faltar chuva para o milho safrinha

14 de março, 2019

A Agro Bayer Brasil traz uma boa notíca para os produtores rurais. Mesmo com tendência de formação de El Niño, as lavouras brasileiras devem ser beneficiadas com chuvas dentro ou acima da média na maioria das regiões produtoras do país. O clima deve abençoar a segunda safra de milho neste ano de 2019. A questão climática - que representa um dos maiores riscos para os negócios agrícolas - não deve ser um empecilho para o sucesso da próxima temporada. 

De acordo com João Castro, agrometeorologista da Climatempo, o atual panorama climático é de transição de um período de neutralidade na atmosfera para a formação do fenômeno El Niño com baixa intensidade, que deve se confirmar até março de 2019. “Vamos ter uma grande safra de milho safrinha. Sob o ponto de vista de potencial produtivo, tudo indica que o clima não vai aprontar. De forma geral, as chuvas devem ficar dentro ou acima da média”.

“Vale ressaltar que a atmosfera fica instável e uma consequência do El Niño são as chuvas irregulares. É possível que em pequenas regiões em Mato Grosso e Goiás ocorram anomalias, com alguns pontos localizados onde podem ocorrer períodos de estiagem, mas não é algo que vá comprometer a safra, pois a perdas podem ser pontuais.”

Quais são os impactos do El Niño?

O fenômeno El Niño ocorre quando há um aquecimento das águas do Oceano Pacífico na faixa equatorial. Com as temperaturas acima da média, ocorre uma maior evaporação das águas deste oceano, o que forma grandes nuvens carregadas na região da Linha do Equador. Este cenário impacta no comportamento da atmosfera, porque formam-se “células” de umidade que se deslocam e alteram toda a circulação de ar do globo.

"O efeito do El Niño ocorre no mundo todo e impacta a agricultura mundial. Todos os países produtores são afetados de alguma forma. No Brasil inteiro ocorrem alterações no regime de precipitações”, explica João Castro.

O El Niño costuma elevar os volumes de chuvas em boa parte do Centro-Oeste, Sudeste e Sul do Brasil. Por outro lado, algumas regiões do Norte e Nordeste podem sofrer com secas. De forma geral, o El Niño tende a ser favorável para a produção brasileira de cereais. É uma situação oposta ao que ocorre durante o fenômeno La Niña. No ano passado, houve uma La Niña bem definida que provocou estiagens no Sul do Brasil, com perdas expressivas para a colheita em vários regiões e uma quebra de safra na Argentina.

Confira o mapa do INMET com a previsão de precipitação para fevereiro, março e abril. 

 

  • HIBRITE: a vaca Jersey que mais produziu leite no mundo

    Marcelo de Paula Xavier

    Produtor Rural, Administrador de Empresas e Mestre em Agronegócios

    HIBRITE: a vaca Jersey que mais produziu leite no mundo

  • Os cuidados com a anotação de dados e os impactos na avaliação genética

    Victor Breno Pedrosa

    Zootecnista, Prof. Dr. de Melhoramento Animal e Estatística

    Os cuidados com a anotação de dados e os impactos na avaliação genética

  • A importância do uso da “Ração Total Misturada” (TMR)

    João Ricardo Alves Pereira

    Zootecnista, Doutor em Nutrição Animal e Pastagens

    A importância do uso da “Ração Total Misturada” (TMR)

Proluv
Top