Marcelo de Paula Xavier


Produtor Rural, Administrador de Empresas e Mestre em Agronegócios

canaldoleite@terra.com.br

PUBLICAÇÕES

As linhagens que mais influenciaram a raça Jersey no mundo

03 de junho, 2021

Autor: Marcelo de Paula Xavier, M.Sc.*

 

Uma pesquisa muito interessante sobre linhagens paternas da raça Jersey foi publicada em 2018 no Journal of Dairy Science. Os dados para este estudo foram obtidos dos registros originais de ancestralidade compilados pelo American Jersey Cattle Club (atual Associação Americana do Gado Jersey) e pela Royal Jersey Agricultural & Horticultural Society (RJA&HS – da Ilha de Jersey), desde 1866.

Os resultados mostram que quase 99% dos touros Jersey (de IA) nascidos na América do Norte na última década – e que têm avaliação genética oficial do CDCB1 – podem ser rastreados a dois touros basilares da raça: SECRET SIGNAL OBSERVER e ADVANCER SLEEPING JESTER.

Além disto, a grande maioria (71%) dos touros Jersey nascidos fora dos Estados Unidos (com avaliação do CDCB) também tem origem nesses dois raçadores americanos da década de 50; ou seja, globalmente, a raça sofreu um impacto enorme dessa dupla.

Curiosamente, esses dois animais (OBSERSER e JESTER) não foram dominantes nas décadas de 1960 e 1970. Esta honra pertenceu ao touro Marlu Milestone, cujos descendentes machos começaram a diminuir em número na década de 1980.

Linhagem JESTER

Segundo Derrick Frigot2, ADVANCER SLEEPING JESTER foi uma lenda na raça Jersey. Este touro chamava muito a atenção dos criadores “por seu tipo superior” e era frequentemente usado como um “refresco de sangue para outras linhagens”. Sua influência duradoura continuou através das gerações até os animais da atualidade.

JESTER tinha, de fato, uma ótima conformação e acabou vencendo o Get of Sire3 no All American Jersey Show4 por por seis anos consecutivos (de 1964 a 1969). Sua progênie era muito valorizada e liderava os preços de venda nos leilões americanos. Seu filho Vaucluse Sleeping Surville, por exemplo, foi vendido no All American Sale5 de 1967 por U$ 56.000,00, atingindo preço recorde para um touro Jersey nascido nos Estados Unidos.

A pesquisa publicada no Journal of Dairy Science aponta que, no compto geral, JESTER é responsável por 32,8% das linhagens paternas da raça Jersey. Cabe destacar que houve, recentemente, uma expansão na influência de JESTER, que pode ser atribuída a um dos seus filhos: ISDK Q Impuls, nascido em 1998 e cujo sêmen foi importado da Dinamarca. O touro Tollenaars Impuls Legal 233-ET (filho de Impuls) foi um pai influente que aumentou o número de descendentes do sexo masculino dessa linhagem.

A figura abaixo mostra alguns dos touros mais importantes da linhagem JESTER – nas décadas de 70 e 80 – que tiveram impacto nos rebanhos Jersey ao redor do globo: 

Linhagem OBSERVER

Nascido na High Lawn Farm, fazenda considerada o berço da raça nos Estados Unidos, SECRET SIGNAL OBSERVER foi o touro que mais influenciou o Jersey como o conhecemos atualmente. Aliás, sua mãe (Observer Signal Lady Jean) acabou sendo conhecida como a “vaca que mudou a raça”, por aparecer com grande frequência em uma amostra muito representativa de pedigrees de fêmeas da década de 80.

Em comparação à JESTER, ele é responsável por uma proporção maior de linhagens paternas do Jersey (66,1%). Dos touros nascidos na década de 2000, por exemplo, 88% podem ser rastreados até OBSERVER. Seus filhos S.S. Quicksilver of Fallneva e Observer Chocolate Soldier – nascidos na década de 1960 – são responsáveis ​​pela grande influência de sua linhagem, com destaque para Highland Magic Duncan (da descendência de Fallneva) e Mason Boomer Sooner Berretta (da descendência de Chocolate Soldier).

A figura abaixo mostra alguns dos touros mais importantes da linhagem OBSERVER – nas décadas de 80 e 90 – que tiveram impacto nos rebanhos Jersey ao redor do globo: 

Champion Flying Fox

Um detalhe bastante interessante do estudo das linhagens do Jersey é que todos os touros de IA nascidos na América do Norte podem ser rastreados a um touro chamado Champion Flying Fox. OBSERVER e JESTER, por exemplo, estão ambos afastados 11 gerações dele, através da descendência do seu filho Agatha’s Flying Fox. 

Nascido na Ilha de Jersey em 1898, Champion Flying Fox chamava-se originalmente Flying Fox 2729 PSHC e era filho de Golden Fern’s Lad com Rosett 5th, bicampeã vaca longeva na Ilha. Em 1901, ele foi importado para os Estados Unidos por T. S. Cooper. No ano seguinte (1902), o touro foi vendido pelo preço de US$ 7.500,00 (recorde da época), em uma edição do leilão denomimado "Cooper Sale".

Flying Fox foi um touro altamente influente e que acabou tendo vários descendentes notáveis. No Great Bull Contest de 1972 nos EUA, todos os 20 melhores touros tinham ancestrais ligados a ele.  

Conclusão

Atualmente, o Jersey está espalhado por todo o mundo, gerando renda e alimento para muitos produtores ao redor do planeta. A principal para isto é a habilidade da raça em produzir leite de altíssima qualidade, consumindo uma quantidade relativamente pequena de alimentos.

Esta realidade se deve – em grande parte – aos esforços empreendidos pelos pecuaristas na sua terra natal, a Ilha de Jersey. Conforme Derrick Frigot, "a vaca Jersey é uma consequência histórica do seu entorno, a Ilha e a população de Jersey." 

No prefácio do livro “Pioneers of the Jersey Breed”, Robert Perchard (presidente da RJA&HS), escreve uma frase que nos traz reflexão: “...a notável história de como uma pequena ilha entre a Inglaterra e a França e seus habitantes visionários produziram uma raça singular de gado que iria mudar o mundo...uma história dos esforços dos homens e mulheres que transformaram ‘a pequena vaca marrom’ no animal leiteiro supremo que é hoje.”

Produtiva, resiliente e de fácil adaptação, a vaca Jersey foi capaz de se ajustar com sucesso a este mundo em mudança para se tornar o animal leiteiro mais eficiente do planeta, com qualidades produtivas excepcionais.

Para terminar, cabe fazer uma citação de 1921 sobre Champion Flying Fox e seus filhos, a qual parece ser ainda muito verdadeira hoje. “Esta é então a reivindicação de Flying Fox para a fama – que seu sangue corre livremente nas veias da maioria das grandes famílias do Jersey nos dias atuais.”

Para saber mais sobre as grandes famílias da raça Jersey, clique aqui.
 

Notas:

1 Council on Dairy Cattle Breeding (CDCB) é uma organização americana sem fins lucrativos que tem a responsabilidade de fazer as avaliações genéticas e genômicas das raças leiteiras, gerenciando o maior banco de dados do setor no mundo.

2 Derrick Frigot é um dos grandes conhecedores da raça Jersey no mundo. Ele é presidente emérito do World Jersey Cattle Bureau e autor de várias obras emblemáticas, como: The Dairy Queen e Pioneers of the Jersey Breed.

3 Get of Sire era uma categoria nas exposições americanas de gado leiteiro que seria como uma "progênie de pai".

4 – All American Jersey Show é a exposição nacional da raça Jersey nos Estados Unidos. O evento é realizado anulamento na cidade de Louisville (Kentucky) e reúne a maior mostra de animais e criadores jersey do mundo.

5 – All American Sale é o principal leilão da exposição nacional da raça Jersey nos Estados Unidos. O evento faz parte da programção oficial da exposição, na cidade de Louisville (Kentucky).

 

Referências:

Two dominant paternal lineages for North American Jersey artificial insemination sires (Journal of Dairy Science 101:2281–2284)

The Dairy Queen (Derrick Frigot e Hans Norgaard)

Pioneers of the Jersey Breed (Derrick Frigot)

Blood flows freely from Top Jersey Bulls (Hoard’s Dairyman)

 

____________________________________________________________________________________________________________

*Marcelo de Paula Xavier, produtor rural, formado em Administração de Empresas pela Universidade Estadual de Ponta Grossa, com Mestrado em Agronegócios pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Foi presidente da Associação de Criadores de Gado Jersey do Brasil por 2 mandatos consecutivos.

Proluv
Top